Os menores e a demagogia no Brasil...............Pais, filhos..........maioridade.

20/10/2010 12:37

 

 

De: Alamar Régis Carvalho
Para: Lourenço Rendesi Júnior
Assunto: Os menores e a demagogia brasileiraLourenço:

No Brasil, o elemento considerado de menor, que tem 17 anos, é visto como se o seu cérebro fosse de uma criança de 5, e pode praticar todo tipo de barbaridade, até assassinatos, sem ser responsabilizado por isto. Mas esse mesmo elemento pode votar e escolher o Presidente da República e o Congresso Nacional.
Comunicado Inicial Eu nunca mando e-mail para ninguém, pedindo para abrir fotos, mandando torpedos, cartões, telegramas, etc. Caso você receba algo assim, mesmo que seja com meu nome ou com a extensão ...@redevisao.net, não abra. Cuidado! Também nunca mando e-mails, tipo SPAM, para pessoas que não os querem receber. Se, por acaso, o seu e-mail está em minha lista, sem o seu desejo, é porque algum amigo seu me pediu para inserir, sem lhe consultar. Peça para retirar, que retirarei, imediatamente.

Tecnologia e seus macetes
Este meu livro, eu escrevi para ser útil às pessoas, dando a elas informações que certamente a grande maioria não tem. São informações que levam economia para elas, as previne contra muitas estratégias e safadezas que acontecem no campo comercial, sobretudo de produtos eletrônicos. É um livro capa dura, todo ilustrado, com fotos e figuras coloridas, do começo ao fim e tem sido muito útil aos meus amigos. Quem o tem lido, tem manifestado muito positivamente, acerca dele. São informações que eu trabalhei porque nunca as vi em nenhum outro livro ou, quando vi alguma coisa parecida, foi de forma muito resumida.
Falo de instalação de receptores de satélites digitais, GPS, energia solar, geradores de energia, montagem de computadores, como comprar televisores LCD, LED ou PLASMA, televisão e cinema 3D, pen drives e os cuidados, as porcarias do mercado da eletrônica, os lixos da China, cuidados para não ser enganado, ipod, iphone, recuperar HD com vírus, como ligar cabos em TV e aparelhos de som, tipos de conectores... etc.
Agora você não vai ter que dizer que só o seu filho ou o seu neto sabe mexer nos equipamentos. 
Caso você deseje adquiri-lo, entre em meu site de tecnologia e, inclusive, baixe um PDF que tem uma demonstração de como ele é. Claro que no PDF não está o livro todo. www.site707.com .
 
 
Se o brasileiro for inteligente, muita coisa muda no Brasil
As companhias telefônicas continuam a ser campeãs de reclamações nos PROCONS, de todo o Brasil, pela safadeza que fazem com os consumidores, mas nada acontece com elas. Quando há uma multa do governo (coisa rara) ou condenação no juizado das pequenas causas, ocorrem em valores muito baixos, insignificantes para os seus cofres, em relação aos seus faturamentos bilionários, posto que são pouquíssimas as pessoas que têm coragem e disposição para reclamar.
Não se submeta a ficar horas e horas tentando resolver os problemas pelo telefone, porque as telefonistas são treinadas para lhe matar no cansaço, sabendo que muitas pessoas, por não agüentarem mais, terminam desistindo de reclamar. A maioria das pessoas desiste mesmo.
A pouca vergonha só pode acabar, a partir do momento em que todos os brasileiros que são enganados pelos péssimos serviços, pelas cobranças indevidas e pelos "gatos por lebres" que elas vendem resolverem entrar, pra valer, no Juizado Especial do Cível, (Pequenas Causas) e levaram as suas ações até o final, sem medo de intimidações e sem se deixarem levar pelas estratégias dos advogados dessas empresas, que são "experts" em quererem desequilibrar psicologicamente os reclamantes, diante dos juízes (comigo eles não se criam). É muito mais simples do que você imagina, você não precisa nem contratar advogado, não vai ter custo nenhum e os juízes desta instância judicial já estão calejados, em relação a essas empresas, porque lidam com ações desta natureza, a todo momento, vendo que a malandragem se repete a cada dia, nos seus fóruns.
Não se conforme em reclamar apenas no PROCON, já que se trata de um órgão que só tem forças para pressionar botecos ou micro empresas, é administrado por funcionário público, indicado por político, sempre sujeito a receber um telefonema do chefe, que é obrigado a atender a um pedido de um deputado (também safado e comprometido), para não fazer nada contra a grande empresa. Saiba que sempre tem um deputado a disposição para aliviar a barra de grandes empresas sem vergonha. Os juízes, do juizado de Pequenas Causas, geralmente não se submetem a isto.        
 
 
Picaretagem com a Odontologia
Quem lê os meus e-mails, há muito tempo, sabe que em um deles eu dei um alerta para ter cuidado com o excesso de propagandas que estava havendo na televisão, panfletos e veículos de comunicação em geral, oferecendo Implantes Dentários, parcelados em suaves prestações mensais. Eu sabia, como muita gente sabe, que banalizaram a odontologia, que há clínicas que utilizam-se de produtos de péssima qualidade, nas pessoas, e que se utilizam de profissionais recém saídos das faculdades, sem experiência nenhuma, e que, por conta disto, se submetem a receber qualquer salário ou honorário, atendendo ao mercantilismo de empresas safadas. A culpa não é nem desses profissionais, que precisam do emprego e precisam desenvolver as suas profissões, embora muitos sejam coniventes.
As conseqüências é que muitas pessoas sofrem, por causa disto, adquirindo dores e inflamações, por causa de implantes mal feitos, sem o indispensável tratamento da base e dos canais, dentes que se soltam até comendo pão, em casa, e dentes que se quebram com facilidade.
Uma dessas empresas picaretas, a IMBRA, faliu, agora, em São Paulo, conforme o Fantástico mostrou, levando prejuízo a muita gente que fez pagamentos de todo o tratamento, à vista ou com cheques pré-datados e, como no caso da ENCOL, (a mais picareta construtora da história do Brasil), muitos não vão conseguir rever os seus prejuízos. Se você conhece alguém que foi vítima de uma empresa dessa, e que tenha dado cheque pré-datado, recomende a bloquear os cheques, imediatamente, no banco em que tem conta.
Todo cuidado é pouco. Informe-se com os sérios profissionais da odontologia e com o Conselho Regional de Odontologia, antes de confiar o seu tratamento a uma dessas clínicas, já que são muitas. Existe uma moderníssima tecnologia, hoje, que é a do ultrassom, na Odontologia, que vale a pena para qualquer pessoa que precisa de uma avaliação dentária.
Bom, não é minha área. Procure um profissional da sua confiança que ele lhe falará mais sobre o assunto. Só quis alertar quanto a picaretagem e a safadeza.
 

 
Os menores e a demagogia brasileira
Esta matéria é dirigida, principalmente, para muitos pais que sofrem, pela agressão e grosseria dos filhos,
nos dias atuais, e acham que têm obrigação de continuar reféns deles, só porque são seus filhos.
Ninguém é obrigado a sofrer, nem mesmo por causa de desequilíbrio e nem chantagens de parentes,
inclusive pais e filhos. A matéria é longa; certamente pode não interessar a todos,
mas tenho certeza que pode ser útil a muita gente. Não a leia como matéria, leia como se fosse um livreto.
 
Super proteção a jovens bandidos, no Brasil.
Adolescente de 17 anos é tratado como se tivesse cérebro de criança de 4 anos.
As leis brasileiras querem ser mais justas do que Deus e Jesus.
Mantenho um barzinho com variedades de bebidas alcoólicas, em casa. Mas me revolto quando meu filho começa a beber.
Jovem de 16 anos tem responsabilidade para escolher o presidente da república, mas não tem para responder pelos seus crimes.
Adolescente bandido, quando preso, sorri e debocha da cara do policial, porque sabe que nada vai acontecer com ele. Muito pelo contrário, o policial é quem pode ser punido.
Adolescente hoje pode até passar a mão na genitália da sua professora e agredi-la, que nada acontecerá com ele. Isto é o Brasil.
O bom da gente escrever para público racional, é a tranqüilidade de não precisarmos ser demagogos, muito menos hipócritas, ostentando bondades e humildades que não temos, a fim de adquirir simpatias e aprovações unânimes, no que falamos e escrevemos.
Portanto, estou aqui com mais um artigo que pode ser considerado polêmico, mas absolutamente necessário, haja vista o problema que é causado nas pessoas, por conta da forma demagoga, irresponsável e inconseqüente como é tratada a relação com o “menor”, em nosso país, que não é coisa inventada aqui e sim coisa copiada de outros países.
A forma como a criatura, considerada de menor, é tratada no Brasil, é de uma estupidez e uma burrice, sem tamanho.
Mas, peraí!!! que não se apressem aqueles que costumeiramente já querem tirar conclusões precipitadas sobre os artigos dos outros, nos seus primeiros parágrafos, condenando o escritor e já colocando os seus achismos para funcionar:
Não queira achar que eu estou escrevendo sugerindo que voltem os tempos de barbáries, que a violência deva ser aplicada, em nome da educação, e que tudo deva ser resolvido na base da porrada. Eu não seria tão inconseqüente, a ponto de propor qualquer retrocesso e muito menos violências.
Sugiro que o meu leitor acompanhe a linha de raciocínio, pois tenho certeza de que, se você procurar mergulhar bem na essência do artigo, verá que talvez o escritor tenha razão.
Certa vez escrevi um artigo que falava da pessoa de visão estreita, aquela que não costuma se aprofundar nos questionamentos das coisas, que procura entrar na universidade fazendo vestibular sustentando-se em conhecimento e cultura de apostilas e que tem preguiça para pensar, já que habituou o seu cérebro a ser resumido, sempre.
Existe a pessoa extremista radical, que é aquela, cuja inteligência limitada só consegue enxergar os extremos, obviamente:
É aquela que quando a gente questiona, por exemplo, porque pintaram esta parede de branco, ela reage achando que estamos querendo que a parede seja pintada de preto. A burrice, proporcionada pelo seu cérebro resumido e extremista, não consegue entender que entre o branco e o preto existem milhões de cores.
Quando questionamos alguma coisa da administração de uma empresa, escola, clube, meio militar, instituição religiosa, repartição pública, etc... ela sempre aparece para dizer que estamos querendo bagunçar ou praticar indisciplina.
Há também aquele que, quando sugerimos aumentar um pouco o tamanho do quarto da casa que estamos construindo, abre a boca, de forma imbecil, para dizer que estamos querendo fazer um quarto do tamanho do Maracanã.
Num caso deste eu não deixo por menos e digo: De fato, quero fazer o quarto do tamanho do Maracanã, para colocar uma cama enorme, no gramado, de uma trave á outra, para a sua mãe dormir, confortavelmente, ouvindo a torcida do Flamengo cantar uma canção de ninar.
Esse tipo de gente existe aos montes, na sociedade. Tenho certeza de que você conhece muita gente assim, talvez algumas estejam ao seu lado, agora.
Mas vamos ao questionamento, esperando que as análises não sejam feitas por inteligências atrofiadas, o que não quer dizer que eu queira que todos os leitores concordem cem por cento com todas as minhas teses e idéias. Sugiro apenas que raciocinem. Se tiver que discordar, que discorde, sim, mas de forma racional e sem a influência da praga da bandeira político partidária, que cega muita gente.
 
A burrice do extremismo 
 
Parametrizaram a figura do menor e estabeleceram direitos para ele, de uma forma igual, na faixa do zero aos dezoito anos de idade.
Não houve a indispensável inteligência para analisar o meio disto, ou seja, as diversas faixas etárias, entre zero e dezoito anos, estabelecendo direitos, deveres, obrigações e responsabilidades diferentes e na proporção do nível de entendimento.
Existe na cabeça de muitos legisladores, psicólogos e elementos que decidem sobre coisas, como o estatuto do menor e do adolescente, o mesmo nível de inteligência daquele limitado que acha que o outro está propondo pintar a parede de preto ou que o quarto deva ser do tamanho do Maracanã.
Sinceramente, você consegue ver alguma coerência numa legislação que considera um jovem de dezessete anos e meio com o nível de conhecimento, informação e discernimento de uma criança de cinco anos de idade?
Pois é. No Brasil o excesso de proteção é para o “menor”, não importando qual a sua idade, escolaridade e grau de percepção.
Isto é de uma burrice sem tamanho.
Questionemos:
Veja se tem sentido uma pessoa de dezessete anos de idade não ser responsabilizada por um crime que comete, mesmo sendo crime hediondo.
Agora observe que contradição desgraçada:
O cidadão, aos 16 anos de idade, na concepção das autoridades brasileiras, é responsável, é lúcida, é capacitada e está habilitada e escolher o Presidente da República, o Governador do seu Estado, o Prefeito da sua cidade e a formar o Congresso Nacional!!!!
Conforme sabemos, o Congresso Nacional é, de fato, o dono do poder no País e, se quiser, destitui até o Presidente da República, caso ele ouse contrariar e atender os intere$$e$ particulares dos seus membros. Pode, inclusive, levar o País a uma guerra, enlutar milhões de famílias numa Nação e até a vender parte do Território Nacional.
Assim como o Hugo Chaves já fez de tudo para gerar uma guerra, em nosso continente, e não vê a hora disto acontecer, já tendo inclusive provocado e instigado a Colômbia e o Equador ao conflito armado, é possível, sim, elegermos uma pessoa para a presidência no Brasil, ou membros para o nosso Congresso, que, também, nos leve a isto.
É possível aparecer um maluco qualquer, no governo do nosso país, para se encher de simpatia pelo inconseqüente do Mahmoud Amadinejad e alimentar a idéia de que deve exterminar do mapa outro país, o qual odeia.
Veja o tamanho da responsabilidade de quem vota.
E o jovem de 16 anos é apto para votar em nosso País. Dizem que isto é democracia.
Uai, então nos dias das eleições o seu cérebro é um e na hora de queimar índio e mendigo, dirigir bêbado e provocar tragédias no trânsito ou atirar a queima-roupa num pai de família é outro?
Qualquer pessoa sensata sabe, muito bem, que um jovem de 14, 15 e 16 anos é capaz de fazer coisas que necessitam de muito raciocínio, discernimento, exercício mental, atenção e até precisão das ações, como é o caso de inúmeras operações que ele faz no computador, nos dias atuais.
Eu posso garantir, com certeza absoluta, que se for dado um treinamento a um adolescente de 15 anos, numa escola de aviação, do mesmo jeito que é dado ao maior de 18, ele decola e pousa com um avião a jato no congestionado aeroporto de Congonhas, com uma precisão absoluta.
Ora, será então que a sua cabeça não funciona, na hora de encher a cara com a “cachacinha” ou a “cervejinha”, ficar bêbado e sair dirigindo em alta velocidade promovendo tragédias e enlutando famílias?
Aí o adolescente, com toda tranqüilidade alega:
- “Eu vou me preocupar, por quê? Se o meu pai tem dinheiro para contratar hábeis advogados para livrarem a minha barra, já que sou considerado de menor, por que eu não vou matar? Tirou sarro com a minha cara, eu meto bala.”
Pois é. Nós vivemos no país de “O advogado nega”, em relação a toda e qualquer prática criminosa que alguém comete, o menor tem que se preocupar com quê? Se existem sempre advogado$ para defender os criminosos maiores, negando sempre, que dirá dos menores.
Que vão caçar o que fazer essas desequilibradas autoridades e esses perturbados sociólogos e psicólogos que tanto os protegem.
Gente! As ruas estão cheias de marginais abaixo dos 18 anos, promovendo as mais absurdas atrocidades e ninguém pode falar nada!
Quando a polícia os pega, não pode fazer absolutamente nada, porque a peste da tal “Associação defensora dos Direitos Humanos” lhes dá super-proteção e é capaz até de prender o policial e até expulsá-lo da corporação, numa absurda inversão de valores.
Você já viu bandido de menor sendo “detido” nas ruas?
Eu já vi, mais de uma vez, com os olhos bem abertos.
Eles entram no carro da polícia sorrindo, achando graça e debochando da cara do policial, porque sabem e TÊM CERTEZA de que não vão ficar presos, que voltarão para as ruas, com liberdade para praticarem as mesmas coisas, sem serem incomodados por ninguém.
É ou não é assim?
Quando eles aceitam a droga, das mãos do traficante, para passarem ao viciado, fazem na maior tranqüilidade porque, também, têm certeza de que, se forem pegos, nada acontecerá com eles, por causa da super-proteção de um país imbecil e ridículo.
E ainda dizem por aí que o nosso país é modelo????? Modelo de quê? de demagogia e hipocrisia?
O adolescente marginal faz o que quer no Brasil. Passa a mão na bunda e na genitália das professoras, no colégio, e elas têm que ficar caladinhas, porque quem dá as cartas são eles, graças a essa demagoga e ridícula comissão dos “direitos” humanos, que só existe para proteger bandidos, nunca se fazendo presente quando da necessidade de proteção ao cidadão comum.
No Brasil, se um grupo de adolescentes revoltados, tipo os pichadores de paredes, anunciar  que vai fazer um movimento para, amanhã, na parte da tarde, os seus membros enfiarem os seus dedos em tomadas elétricas, pode ter certeza de que as autoridades se apressarão em mandar cortar o fornecimento de energia da cidade, prejudicando toda a população, para que os coitadinhos e bonitinhos não tomem choques. E manterão a energia cortada desde a manhã até parte da noite, por questão de segurança, para eles.
É ou não é assim, em nosso País?
Até quando vai isto?   
 
"Não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentes brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transformar a sociedade, sem ela  tampouco a sociedade muda." -  Paulo Freire

 
A Declaração Universal dos Direitos Humanos
 
Observe alguns artigos desta, que é uma das maiores iniciativas já proclamadas na humanidade, mas muito mal entendida pela hipocrisia e pela demagogia:
 
Veja o artigo V, como ele é:
Artigo V – Ninguém será submetido à tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.
Agora, o artigo, conforme o entendimento brasileiro:
Artigo V – Nenhum bandido, mesmo sendo assassino, será submetido à tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante, por mais grave, cruel e perverso que seja o seu crime. Se o cidadão comum for, o problema é dele.
 
Veja agora o Artigo XXIV, inciso 2.
Artigo XXIV - 2. No exercício de seus direitos e liberdades, toda pessoa estará sujeita apenas às limitações determinadas pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades de outrem e de satisfazer às justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar de uma sociedade democrática.  
Entendimento no Brasil.
Artigo XXIV - 2. No exercício de seus direitos e liberdades, a pessoa comum estará sujeita apenas às limitações determinadas pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades de outrem e de satisfazer às justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar de uma sociedade democrática. Mas isto é só para a pessoa comum, porque a pessoa que desejar ser bandida, criminosa e até assassina, não tem limitação nenhuma, terá somente direitos, nenhum dever e não há necessidade de respeitar o direito de ninguém.
 
A realidade dos pais bobos e medrosos
 
Este é um dos maiores problemas dos dias atuais. Muitos pais estão se conformando em ser reféns dos seus filhos, que fazem o que querem e o que bem entendem, dentro de casa.
Em nome de um rígida “obediência” às leis, ficam submetidos a essa estúpida realidade que estamos vivendo, não falam nada, sempre achando que “não adianta falar nada”, e assim vão sofrendo e ajudando a construir futuros desequilibrados, perturbados e desajustados, fingindo que não estão vendo isto acontecer.
Nunca os adolescentes fumaram e beberam tanto e tão cedo, como nos dias de hoje, e tudo é visto como normal.
Muitos pais reclamam disso tudo, mas, em elevado coeficiente de babaquice, continuam enfeitando as salas das suas casas com os famosos barzinhos que têm toda variedade de alcoólicos, inclusive os famosos “12 anos”, para impressionar as visitas e oferecer aos “amigos”. Imagino o que não ofereceriam aos inimigos.
Uai, e não querem que os seus filhos se inspirem no alcoolismo?
Ou vão querer enganar a si mesmos dizendo que apenas bebem SOCIALMENTE?
Filhos fazem das suas mães as suas empregadas domésticas, que têm que manter as suas roupinhas lavadas e passadas, aos gritos, e ai delas se falarem alguma coisa.
- “Mãe, onde é que está minha blusinha amarela, de alça? Eu quero.”
- “Porra, mãe, você não passou minha calça azul. Sacanagem”.
O pai nada mais significa do que o cofre da família.
- “Pai, estou precisando de dinheiro...”
- “Pra que, filho? O que você quer comprar?”
- “Porra, pai, precisa dizer pra que é?”
Pai não é considerado como amigo, é um mero arranjador de dinheiro e nada mais do que isto. Aos colegas e “amigos” da rua, ele pode dizer pra que é o dinheiro, mas para o pai não.
Gente, hoje os filhos estão mandando os pais tomarem em tudo quanto é lugar, e eles têm que ficar calados dentro de casa, por medo do modismo que se implantou no país.
Não pode falar nada, que traumatiza.
Aí vem aquela mãe, toda boazinha, argumentando:
- “Mas é meu filho! é minha filha, e eu tenho a obrigação de tolerar tudo!!!”
É por isto que eles fazem o que querem e não estarão dispostos, nunca, a mudar.
O elemento familiar quando percebe a moleza do outro, “deita e rola”, como se diz no popular, faz o que quer, se acomoda e explora mesmo, o quanto pode.
Uma das piores coisas do mundo é a chantagem dentro do lar, a chantagem de familiar e de parente. Quando ela acontece e as pessoas a acolhem, sem falar nada, aí é que o chantagista aproveita e abusa. Foi por causa disto que escrevi o meu livro “Parente, uma praga na vida da gente”. Não há uma pessoa, sequer, que tenha lido este livro e não tenha dito? "Alamar, parece que você foi lá em casa".
O filho quando grita e pratica as suas atitudes estúpidas e agressões com os pais, o faz porque tem certeza que sua mãe o “ama tanto”, que jamais o colocará fora de casa. Pode fazer o que quiser, com ela, que ela sempre estará preparando a sua comidinha quentinha, na hora certa, arrumando o seu quarto, pra ser bagunçado de novo e ainda brigar quando ela colocar alguma coisa num lugar que ele não sabe onde, ela está sempre lavando e passando a sua roupa, sempre dando um jeito para pagar a conta do telefone que ele abusa, enfim, a mãe está sempre sendo o esteio da sua vida.
Mas o protegido, pelos estatutos demagogos, está absolutamente tranqüilo.
A besta da mãe não consegue perceber que Benzetacil é uma injeção que dói demais, mas, para muitos casos, é a melhor opção em remédio.
Não demorará muito e começarão a aparecer membros dos "direitos humanos" para processar médicos e enfermeiros que aplicam Benzetacil nas pessoas, só porque é uma injeção que dói. Ou melhor, nas pessoas não, nos bandidos, porque a pessoa comum pode sentir dor, os bandidos não.
Nunca o adolescente fumou tanto, como hoje; entregou-se à bebida alcoólica, como hoje, e cheirou tanta cocaína, como nos dias atuais.
Tudo isto por conta de uma legislação criada por gente de mente estreita e cérebros de minhoca que não sabem legislar fora da demagogia política.
Que os pais se libertem dessa condição de reféns e restabeleçam as suas autoridades, em casa, obviamente fazendo um exame de consciência pra ver se estão tendo uma conduta de vida coerente, para terem moral em relação aos seus filhos.
 
"Não devemos transformar a mediocridade em valor de vida".  Lauro de Oliveira Lima

 
Não confundir com proposta de barbárie
 
É muito comum, quando alguém levanta a voz contra essa super-proteção a marginais e a filhos agressivos, aparecer alguns demagogos de plantão, daquele tipo de gente que quer ser “mais bonzinho” do que Deus.
Aqueles que reagem dizendo que o que queremos aqui é fazer apologia ao tempo da barbárie, que estamos sugerindo que os pais voltem a espancar e torturar os seus filhos.
É gente com aquela mesma cabeça atrofiada, de cérebro tão pequeno, no nível daqueles que entendem que estamos querendo construir um quarto do tamanho do Maracanã.
Não seríamos tão irracionais a ponto de propor qualquer tipo de agressão, tortura ou barbárie, posto que os que apelam para esse tipo de recurso também não têm competência para conquistar o respeito pelo exemplo moral, aí apelam para a força.
Há pais que são temidos dentro de casa e acham que são respeitados. Há uma diferença muito grande.
Palmada na bunda de uma criança, quando necessária, nunca pode ser comparada a barbárie.
Será que Deus, quando projetou a bunda do ser humano, carnuda daquele jeito, já não foi, também, com objetivos educativos?
Por falar em Deus, observemos que ele, em momento algum, é “bonzinho” com o ser humano. Ele é BOM, mas bonzinho não!
E qual é a diferença?
Se você deixa uma criança, de um ano de idade, engatinhando pela sua casa (Deus está vendo, porque ele vê tudo), distrai-se ao atender o telefone ou fazer qualquer outra coisa, de repente a criança se dirige à tomada elétrica e enfia o dedinho exatamente no buraco fase da tomada; por acaso, ele, o Criador, por ser Deus, a Suprema Bondade, Justiça, Misericórdia e Compreensão vai mandar um anjo (armado de espada), a fim de proteger a criança para que ela não tome o choque, que pode ser fatal?
Abrindo um parêntese, aqui, só para descontrair: Por que, segundo algumas religiões, Deus costumava mandar anjos armados de espada, à Terra? Pra que aquelas espadas? Pra lutarem contra quem? Seres espirituais, em nível de convivência próxima a Deus, precisariam de espadas para lutarem com humanos aqui na Terra?
Mas deixemos isto pra lá e voltemos ao caso da criança.
Será que Deus, “bem bonzinho”, raciocinaria assim:
- “Coitadinha da criancinha, tão inocente, não sabe o que está fazendo, não pode sofrer conseqüência por nada que faz, porque não tem educação, ainda, para compreender as coisas. Vou mandar um anjinho, também bem bonzinho, para não deixá-la sofrer conseqüência nenhuma do que faz”.
É desta forma que Deus, que manifesta-se sempre ao homem através da Natureza, age com as criaturas?
Se você resolve sair à rua, quando está chovendo, será que Deus, muito “bonzinho”, costuma providenciar um tubo de um metro de diâmetro em redor do seu corpo, onde não cairá um pingo d’água, para lhe acompanhar onde você for, sob a justificativa:
- “Coitadinho dele. Já que sou bonzinho, devo protegê-lo dos pingos d'água para não pegar uma gripe”.
Não é nada disto! Se você sai à chuva, você vai se molhar, sim!!!!
A Lei Natural da Física sempre afirmou e continuará afirmando:
A cada ação, corresponde uma reação igual e contrária.   
E como é que a imbecil lei brasileira não quer que ninguém sofra reação, quando pratica uma ação?
Um dos ensinamentos que Jesus nos trouxe, diz, seguramente:
Quem com ferro fere, com ferro se ferirá.
Será que Jesus também está errado? Não podem se ferir aqueles que costumeiramente ferem os outros?
A infalível Lei de Causa e Efeitos diz:
Quem planta, colhe o que plantou.
A Lei brasileira quer que colha bons frutos aquele que só sabe semear ervas venenosas?
Qual a lógica que tem alguém plantar pimenta malagueta e aparecer um monte de demagogos querendo que esse alguém colha deliciosas uvas?
Que diabo é isto, gente?
 
Veja quanto burrice existe na mente estreita brasileira:
 
Os direitos e as proteções trabalhistas deveriam existir, com toda força, para os verdadeiros trabalhadores brasileiros, os produtivos, não preguiçosos, honestos e dedicados. No entanto, a praga da visão estreita, muito praticada nos sindicatos, quer, no mesmo nível, também para vagabundos, ladrões, desonestos, preguiçosos e safados.
Deveria existir, sim, movimentos fortes, enérgicos e atuantes para rever terras improdutivas que estão nas mãos de exploradores que as adquiriram por meio de corrupção, influência e safadeza, no entanto, existe um tal movimento, chamado “Sem Terra”, composto por marginais, vagabundos e assassinos que invadem, destroem e se apoderam de terras produtivas, e ainda são protegidos pelo governo.
Aí eu pergunto de novo: Que diabo é isto, gente?
Há coerência em nosso País?
Até quando vai a burrice das autoridades, que não conseguem fazer nada, sem enquadrar no campo da demagogia e da hipocrisia?
Falta mesmo vergonha na cara, neste Brasil, que só trouxa pode acreditar que TUDO está bem.
Reflitamos, então, nesta questão e deixemos que a racionalidade, a coerência e a sensatez comandem os destinos do Brasil.
   Para a sua apreciação.
 Abração.
 
Alamar Régis Carvalho
Analista de Sistemas, Escritor, ator, profissional de televisão.
Criador da idéia do Partido Vergonha na Cara - www.partidovergonhanacara.com
alamar@redevisao.net
www.alamar.biz  -  www.redevisao.net - www.site707.com
 
Conheça a DINASTIA - Uma proposta muito séria, ética, segura, legal, moral e altamente interessante para as pessoas mais racionais. Mas somente para pessoas racionais, não preconceituosas e que tem a inteligência e o bom senso de analisar as coisas, detalhadamente, antes de tirar conclusões. É muito interessante mesmo. Se você quiser saber maiores informações: Em Brasília: Ligue para o Cleomar Viana, que inclusive é funcionário do Palácio do Planalto. O telefone dele é (61) 9955-9945, email cleomarviana@gmail.com. Em Salvador: Milton Santos, (71) 3381-7282 e 8817-3381, em Goiânia com o Arlei, no (62) 8460-3077, em Belo Horizonte com o Abel, no (31) 2557-8282 e 9274-3020. Mas, repito, é só pra gente que raciocina.
 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!