Mozart Fanchin

02/10/2010 11:26

 

Trabalhador do Centro Espírita Casa do caminho - SANTANA, coordenador das reuniões de desobsessão, que se realizam todas as 3a. Feiras com inicio às 19:30 h. Colaborador emérito das Casas André Luiz, como curador e responsável pela manutenção dos necessitados junto ao Fórum da capital.

 

 

- Caro MOZART, os espíritos existem?

 

A questão no. 76 do Livro dos Espíritos, livro segundo, capítulo I, responde a esta pergunta de forma categórica. Quando Kardec pergunta: Como podemos definir os Espíritos, os Espíritos superiores respondem: "Podemos dizer que os Espíritos são os seres inteligentes da criação. Eles povoam o Universo, além do mundo material"

E em muitas ocasiões, nos trabalhos mediúnicos, tivemos a oportunidade de comprovar essa assertiva. Então corroborando Kardec, podemos tranqüilamente afirmar que sim. Os Espíritos existem.

 

- MOZART quanto tempo milita na Doutrina Espírita?

 

Já vão mais de cinqüenta anos. Desde a minha juventude, passando pela grata satisfação de estar entre os colaboradores na fundação e manutenção das Casas André Luis.

 

- Mozart o que realmente motiva sua abnegação pelos trabalhos voltados, principalmente para a desobsessão?

 

A vontade sincera de colaborar ativamente com a seara do mestre Jesus, iniciada há dois mil anos, qual seja auxiliar a humanidade sofredora dos dois planos da existência.

 

- Mozart quais as aptidões próprias de um individuo para que possa exercer com equidade e também coordenar o trabalho de uma reunião de desobsessão?

 

Antes de tudo vivenciar o Evangelho plenamente. Jesus exemplificou o amor aos sofredores de toda ordem. Ele é sem duvida, nosso divino modelo. Então, alem de boa vontade o irmão tem que pautar suas ações e atitudes pelo roteiro traçado pelo Evangelho, que é um código de amor dirigido à humanidade, legado pelo nosso Mestre Jesus.

 

- Mozart existem médiuns especiais para exercer tal trabalho?

 

Eu não diria especiais. O médium deve estar conscientemente preparado para a tarefa, através de um estudo sistemático da doutrina espírita, que vai habilitá-lo no conhecimento das leis que regem a vida integral. Somado a isto, deve ser conhecedor e praticante das orientações evangélicas, colocando-se de boa vontade a disposição dos Espíritos comunicantes.

 

- Quais as condições peculiares.........

 

Bem, além das disposições descritas na pergunta anterior, observar alguns cuidados no campo material, tais com no alimentar-se; abster-se de beber bebidas alcoólicas e uso do tabaco o mais possível.

 

- Mozart o obsessor (espírito) tanto pode ser encarnado como desencarnado?

 

A obsessão é um fenômeno ligado a sintonia. Assim, independe da condição do Espírito. Estar encarnado ou desencarnado são apenas condições vivenciadas pelo Espírito imortal na rodas das encarnações sucessivas.

 

- Mozart a influência maléfica de um obsessor, também tem em alguns casos a colaboração do obsediado? Como: invigilância, satisfação, afinidade de atitudes, etc.

 

Totalmente. Como disse anteriormente, é um fenomeno relacionado a sintonia vibratória.

Neste sentido, o obsediado nada mais é que o outro polo da relação obsessiva estabelecida.

 

- Mozart o processo desobsessivo, requer muito de paciencia, o espírito obsessor atarvanca a rapidez que seria de desejar?

 

Sim. Uma vez estabelecido o processo obsessivo em seus graus mais avançados, quais sejam a fascinação e a subjugação, como classificou Kardec no Livro dos Médiuns, exige-se tratamento pertinaz e constante, com altas doses de paciência, amor e disposição para o perdão incondicional. Assim colocado, deve haver disposição firme de perdão de ambos os envolvidos no processo: obsessor e obsediado.

 

- Mozart a obsessão deixa seqüelas?

 

Nos casos mais complexos do fenômeno, sim. Vejamos por exemplo o caso das simbioses, dentro da classificação das subjugações, amplamente tratado pelos irmãos espirituais superiores no Livro dos Médiuns, onde há um intenso intercambio de energias sutis entrelaçando os envolvidos.

 

- Mozart enfim! A desobsessão alivia, retarda ou normaliza a rotina do obsediado?

 

O tratamento dos processos obsessivos, vulgarmente chamado de desobsessão geralmente colabora para aliviar as conseqüências danosas inerentes aos embates psicológicos, morais e até mesmo físicos gerados, podendo chegar, à normalização da rotina da vida do Espírito. Como dissemos, vai depender muito da disposição para o perdão incondicional dos envolvidos no drama obsessivo.

 

Deixe algumas linhas, algum comentário que gostaria transmitir aos seus companheiros de Doutrina.

 

Eu gostaria muito de conclamar a todos os confrades para a exemplificação pura e simples do amor, na forma e condições estabelecidas por Jesus, nosso Mestre e Irmão maior. Deixemos de lado nossas vaidades e orgulhos, por menor que sejam. Trabalhemos com alegria e boa disposição, atendendo a todos sem distinção, pois temos consciencia da condição de trabalhadores da última hora que somos. Se quisermos merecer o salário dos primeiros não podemos nos dar ao luxo de preguiça e displicência na execução da tarefa na obra do nosso senhor, o Cristo.

 

 Componentes do Grupo de desobsessão das reuniões de 3as. Feiras. Mozart Fanchin, Manoel Felix, Lucilia, José Caetano, Maria Eugênia, Valquiria, Judith, Paulo César, Eloinha, Marcos Eduardo Joaquim Carlos

 

*************************************************************************************************


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!