Entrevista com LEDA ALEM GENNARI - "ESCOLHAS" O bem e o mal são apenas caminhos!

13/05/2012 15:05

 

Entrevista com LEDA ALEM GENNARI"ESCOLHAS"O bem e o mal são apenas caminhos! ................por Louren Junior

 
 

 

Escolhas – O bem e o mal são apenas caminhos!

 

Entrevistada LEDA ALEM GENNARI

 

Pedagoga, Pós Graduada em Psicologia Educacional, expositora de Doutrina Espírita no Centro Espírita Nosso Lar, trabalhadora na Doutrina Espírita do Centro Espírita Casa do Caminho Santana e palestrante em diversos Centros Espíritas da Zona Norte de São Paulo.

 

 

ESCOLHAS – O bem e o mal são apenas caminhos!

 

Leda,

Deus na sua Infinita Bondade colocou a nossa disposição o conhecimento do bem e do mal. Temos a liberdade para fazer qualquer coisa que quisermos. Assim somos “livres”, capazes de tomar decisões, capazes de escolher entre o bem e o mal?

 

Sim. Deus nos dotou do livre arbítrio, caminho pelo qual tomamos nossas decisões.  Na questão 631 do Livro dos Espíritos, estes esclarecem à Kardec de forma muito clara que o homem distingue o bem e o mal quando crê em Deus e quando tem vontade de saber como. Para isto proporcionou-lhe a inteligência e a razão para poder diferenciar um do outro.

 

Leda,

O que podemos abstrair, ou melhor, interpretar sobre: No jardim do Éden Deus colocou a arvore do conhecimento do bem e do mal. “De toda a arvore do jardim comerás livremente. Mas da arvore do conhecimento do bem e do mal não comerás, porque no dia em que dela comeres morrerás. Gênesis 2:16-17?

 

A Bíblia é passível de interpretações. Os primeiros livros científicos foram os livros sagrados, pois teria que haver explicações para todos os fatos, uma vez que a compreensão do homem não tinha o alcance que temos hoje, apesar de que ainda temos um longo caminho a percorrer neste quesito. Quando Moisés refere-se à “não comas do fruto da árvore da ciência do bem e do mal, porque no dia em que dele comeres, morrerás”, com toda a certeza está referindo-se ao sexo ou à prática sexual. Certamente, o sexo pode ser um bem na procriação (entenda-se encarnação dos espíritos), como pode ser um mal, na sua prática indevida, na viciação, na luxúria, etc. Entenda-se “morte” como morrer para o mundo espiritual para sofrer as vicissitudes da encarnação.

Na questão 644 do Livro dos Espíritos temos que “a resistência é o mérito que se adquire ao expor-se às tentações”.

 

Leda,

Do resultado desse entendimento podemos asseverar que através do “livre-arbítrio” a desobediência, no caso o “mal” é o resultado do sofrimento, da aflição e da dor?

 

Olhando-se sob o prisma da Lei de Causa e Efeito, devemos concluir o contrário: o sofrimento, a aflição e a dor “é o resultado do mal que praticamos e o bem que deixamos de fazer” (Questão 642 do Livro dos Espíritos).

 

Complemento – 01:

 

Também asseverar que cada pessoa nascesse com uma natureza pecaminosa, uma tendência para o mal?

 

Deus nos criou simples e ignorantes, ou seja, sem conhecimentos (Questão 115 do Livro dos Espíritos), o que nos conduz ao raciocínio de que não temos tendências para o bem ou mal. O livre arbítrio e as escolhas que fazemos é que nos leva para um ou outro caminho. O ensinamento de Jesus sobre as duas portas – a larga e a estreita, nos indica qual o caminho a seguir. Depende unicamente de nós.

 

Complemento – 02:

 

Em última análise se verdadeira a premissa, criou-se a necessidade de Jesus Cristo morresse na cruz e derramasse seu sangue em nosso lugar. Assim através da fé poderá nos libertar das conseqüências do mal. E de certa forma ecoar as palavras do Apóstolo Paulo em Romanos: 7:24-25ª: “Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor.”?

 

“Recorramos mais uma vez ao Livro dos Espíritos na questão de número 625: ‘Jesus o ser mais perfeito que o Criador nos enviou para ser nosso guia e modelo”. Os exemplos e ensinamentos de Jesus, através de suas palavras, vivencia terrena e atos, deve inspirar-nos para a prática do amor, fraternidade e compreensão. Em resumo, assim estaremos no caminho do bem.

  Leda Alem Gennari e esposo durante Eleições da Nova Diretória - 2009

  Centro Espírita Casa do Caminho - Santana

Leda,

No seu íntimo, você acredita que o homem escolhe para ser mau. Admitindo hipóteses e teorias, que avançam com o tempo. Pois espíritos inescrupulosos, com falsos propósitos buscam a Deus...., tanto quanto os honrados e os honestos?

 

Àquele que busca Deus, busca a verdade. O espírito que está vivendo no erro, assim procede somente quando está no caminho da compreensão. Está a procura da melhoria de suas miseráveis condições morais. Se esta não for sua verdadeira intenção, não está à busca de Deus, mas sim se enganando a si próprio.

 

Leda,

Vamos relembrar de um dos mais lúcidos tratados acerca das escolhas, que encontramos no Livro “Céu e Inferno de Allan Kardec no Capitulo 7, que trata do Código penal da vida futura.

 

6º - O bem e o mal que fazemos decorrem das qualidades que possuímos. Não fazer o bem quando podemos é, portanto o resultado de uma imperfeição é fonte de sofrimento, O Espírito deve sofrer pelo mal que fez, como pelo bem que deixou de fazer.

Tudo bem! E esse mal de certa forma poderá ser respaldado,

 

Vamos ao que diz Joanna de Angelis:

“Os atentados aos Estatutos Divinos que regem a vida produzem distúrbios e desarmonias que permanecem aguardando o responsável, até que ele reorganize a paisagem afetada, recompondo a ordem que violou.” Concorda?

 

O que podemos acrescentar aos ensinamentos da Codificação e ao sábio espírito Joanna de Angelis? Não pode haver reparação do mal sem a prática do bem. Na questão 642 do Livro dos Espíritos temos: “é preciso fazer o bem no limite das próprias forças, pois cada um responderá por todo o mal que tiver ocorrido por causa do bem que deixou de fazer”.

 

Leda,

No Livro “Ação e Reação” de André Luiz, respaldando o código penal da vida futura, referem: “É indispensável compreendamos, de algum modo, que todos mal por nós praticados, conscientemente expressa, de algum modo, lesão em nossa consciência e toda lesão dessa espécie determina distúrbio ou mutilação no organismo que nos exterioriza o modo de ser.”

Mesmo no relacionamento social das criaturas compreendendo as posições filosóficas ou ideológicas alheias, temos que empreender esforços por respeitá-las, sem, contudo hesitar na conduta do bem, mesmo que sejam contraditórias?

 

Respeitar a opinião alheia não significa deixar a seara do bem e nem abdicar de nossas convicções.  Não podemos deixar acontecer, conforme nos alerta André Luiz, no livro Sinal Verde: “Devemos reconhecer o fato de que, muitas vezes a pessoa se nos torna indigna, simplesmente por não adotar nosso ponto de vista.”

 

Leda,

Do Livro “Não estamos sós” de Caparaó por Everson Pacheco, extraímos: “Ninguém se faz infeliz sem o seu consentimento, pois a vida é feita de “escolhas”, assim, use o seu livre-arbítrio para ser feliz e buscar a paz”.  Alguma duvida? Dá para questionar para que cada um encontre sua verdade e alcance o que todos almejam?

 

Claramente está relacionado com nosso livre arbítrio. No Evangelho Segundo o Espiritismo temos o ensinamento de que o homem é o artífice da sua própria infelicidade.  

 

Leda,

Escolher é tomar uma decisão. A partir do momento que nós fazemos uma escolha automaticamente estamos atrelando uma conseqüência, “Lei de causa e efeito”, portanto felicidade e sofrimento são conseqüências das escolhas, ou dos nossos atos.

Somos promotores do nosso destino. Cada um leva a vida que quer  do jeito que bem entender, mas também vai colher tudo o que promover. A inteligência é suficiente, para procurar os conhecimentos e ensinamentos para compreendermos as conseqüências de cada escolha, cada pensamento, cada caminho escolhido?


A inteligência é um atributo do espírito. É uma ferramenta imprescindível para acertarmos nossas escolhas.  Ao adquirirmos o conhecimento, o mesmo deve ser respaldado pela evolução moral, sem o que a inteligência por si só de nada adiantará na escolha do caminho.

 

Leda,

Fazendo uma análise honesta podemos admitir que o bem e o mal decorram das qualidades que possuímos. Não fazer o bem é, portanto o resultado de uma imperfeição é fonte de sofrimento, o Espírito deve sofrer pelo mal que fez, como pelo bem que deixou de fazer. Capitulo 21 do Código da Vida Futura diz: "A responsabilidade das faltas é toda pessoal, ninguém sofre por erros alheios, salvo as a eles deu origem, quer provocando-os pelo exemplo, quer não os impedindo quando poderia fazê-lo." Não é verdade?

 

A responsabilidade é tanto do executor como do idealizador da ação. Assim aquele que provoca o mal é tão responsável como aquele que o executou. Considere-se que, dependendo do grau de ignorância do que foi induzido a pratica do mal, a responsabilidade maior recai sobre aquele que a desejou ou a planejou.

 

Leda,

O mal e o bem sendo apenas caminhos. Através dos quais o homem não chega alcançar sua auto-afirmação é cerceada e produto de sua vaidade. Compreendendo que só nos acontece o que é necessário ao nosso autoconhecimento, assim podendo mudar e planejar nosso rumo até mesmo em situações de arrependimento?

 

Os espíritos já nos orientam que o orgulho e a vaidade são os grandes obstáculos ao nosso progresso espiritual. Assim, ao vencermos estas mazelas, estaremos dando um enorme passo para o autoconhecimento e conseqüentemente aparar as arestas da imperfeição. Vamos nos lembrar o que Santo Agostinho nos ensina nas questões 919 e 919ª do Livro dos Espíritos de como alcançar a melhoria e resistir ao mal.

 

Vamos ao que nos diz o Espírito Matias Albuquerque:

 

R

 

Estando- nos a introspecção consciente e honesta, daqueles que muito têm que aprimorar.

As modificações da escolha são sempre acompanhadas pela ascensão do conhecimento.

À vontade de prazer e de domínio, convertendo-se no prazer de aperfeiçoar e servir.

Resultando do conjunto de nossas idéias a nossa própria existência.

Para apreendermos nosso glorioso destino, nos é necessária à inteligência, sem dispensarmos os dotes de amor e fraternidade para dirigirmos a nossa conduta como filhos de Deus.

O nosso aperfeiçoamento será o resultado das escolhas ao longo da vida, pelo conhecimento doutrinário, pelos quais seremos responsáveis.

Não bastando ainda o chauvinismo que torna-nos caudilhos e sentenciadores, sujeitos as leis e normas de uma sociedade, que deva preservar pelos costumes e orientação adequada para seus descendentes.

                                                    

Leda, durante nossa existência vamos contatando com pessoas que através da cordialidade da sinceridade de propósitos vamos nos afeiçoando. Geralmente são criaturas meigas, solidárias, que carregam consigo sempre qualidades que transmitem um enorme comprometimento com a verdade. Leda você é uma dessas criaturas que no breve período de proximidade juntou-se a todos aquelas outras criaturas que fazem parte de nosso circulo de amizades. O prazer de entrevista-la estendo a todos aqueles que compreendem que amar, perdoar e compreender é um objetivo de vida não uma obrigação.

 

Deixe aqui sua mensagem a todos nós.

 

A Doutrina Espírita é esclarecedora e consoladora por excelência. Nosso aprendizado é constante e nos impulsiona à reflexões sempre. Isto nos auxilia na conduta e na pratica dos ensinamentos de Jesus. Recordamo-nos sempre de Santo Agostinho e seu precioso ensinamento nas questões do Livro dos Espíritos mencionadas acima (919 e 919ª). Fazer um balanço diário de todas nossas ações é fundamental, conforme nos ensina este amorável amigo espiritual. Obrigado pela oportunidade, desejando a todos muita paz, saúde e harmonia.

 

Entrevista com Leda Alem Gennari.....por Louren Junior

 

ESCOLHAS – O bem e o mal são apenas caminhos!

 

http// www,lourenjunior.webnode.com.br



cms.lourenjunior.webnode.com.br/news/entrevista-com-leda-alem-gennari-%22escolhas%22-o-bem-e-o-mal-s%c3%a3o-apenas-caminhos%21/