A representação FILOSÓFICA na DOUTRINA ESPÍRITA - Crônica....por Louren Junior....coordenação Espírito Matias Albuquerque.

27/01/2016 09:30

A representação FILOSOFICA na DOUTRINA ESPÌRITA! – Crônica....por Louren Junior....coordenação Espírito Matias Albuquerque

 

FORMAS DO SABER E DO AGIR!

 

"A DOUTRINA ESPÍRITA não dogmatiza, não é seita, nada impõe. Aos Espíritos estabelece vinculos com o Criador na sua mais simples forma de pensar abrindo um caminho próprio de sua evolução.".....Espírito Matias Albuquerque

 

PITÁGORAS foi quem pela primeira vez usou a palavra filosofia (Philos-Sophia), que significa: amor à sabedoria.

No entanto, embora tenha sido Pitágoras a dar-lhe expressão na área do conhecimento humano, é importante realçar que até etimologicamente falando, a filosofia não apresenta fortes conotações do racional (logos), mas em compensação, apresenta-se como insofismável desveladora amorosa da verdade.

 

Ao contrário da Ciência que tende cada vez mais para a especialização, a Filosofia no sentido inverso, quer superar a fragmentação do real a fim de resgatar o homem de maneira holística, isto é que defende uma visão integral e um entendimento geral dos fenômenos, trazendo mais autoconsciência corporal, emocional, mental e espiritual, entre outros. Por isso a Filosofia tem a função de interdisciplinaridade, estabelecendo o elo entre as mais variadas formas do saber e do agir.

 

O que diz ALLAN KARDEC na Revista Espírita de Janeiro de 1858: “A” Doutrina Espírita , como se vê, compreende tudo quanto se liga ao conhecimento da parte metafísica do homem; estudá-la-emos em seu estado presente e no futuro, porquanto estudar a natureza dos Espíritos é estudar o homem, tendo em vista que ele deverá fazer parte, um dia, do mundo dos Espíritos. Eis por que tratamos de estudos psicológicos.

 

Síntese: A DOUTRINA ESPÍRITA é ao mesmo tempo uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência consiste nas relações que se podem estabelecer com os Espíritos ; como filosofia ele compreende todas as circunstâncias morais que decorrem dessas relações...”. A ciência espírita pesquisa a autenticidade dos fenômenos de intercâmbio e nos garante que as informações estão corretas e exprimem a verdade.

 

Sobre isso, assim coloca Allan Kardec: ” ... Assim como a Ciência, propriamente dita tem por objetivo o estudo das leis do princípio material, o objetivo especial da DOUTRINA ESPÍRITA é o conhecimento das leis do princípio espiritual. Ora, como este último princípio é uma das forças da Natureza , a reagir incessantemente sobre o princípio material e reciprocamente, segue-se que o conhecimento de um não pode estar completo sem o conhecimento do outro...”

 

Podemos afirmar com segurança: A DOUTRINA ESPÍRITA trata a filosofia, com bases cientificas com consequências religiosas.

No âmbito das mais variadas atividades humanas, quer profissionais, religiosas, etc., sempre haverá o espaço e a necessidade da reflexão filosófica para expansão da consciência crítica, com o uso socrático que consiste em multiplicar as perguntas afim de obter por indução dos casos particulares e concretos um conceito geral.

Amplamente manejada por Allan Kardec na feitura da Codificação Espírita.

 

A Doutrina Espírita não poderia deixar, portanto, de ter a sua vertente filosófica, para não lhe faltar instrumentação básica com a qual abriria as picadas nas inacessiveis veredas das transcendentais regiões do Espírito, e mostrar-se a pós , como a única Doutrina capaz de responder convenientemente e logicamente às milenares interrogações humanas, guiando as criatura nos intricados labirintos do saber

 

Assistam o video abaixo tirem suas conclusões:

youtu.be/cm-fV2rrDgk


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!