Mensagem ditada pelo Espírito ELIS REGINA......por Louren Junior....coordenação Espírito Matias Albuquerque.

06/05/2014 15:51

Mensagem ditada pelo Espírito de Elis Regina....................por Louren Junior.....coordenação Espírito Matias Albuquerque

 

Numa demonstração de equilíbrio, posso daqui do além, trazer-lhes o testemunho da vida além do corpo físico, que os serve de envoltório quando encarnados.

Este meu discernimento, que faz que possibilite meu testemunho, foi pôr duras penas conquistado.

O torpor que envolvia meu espírito ao desencarnar era dessas coisas que só os espíritos acostumados ao socorro divino lhes poderiam explicar.

A certeza das responsabilidades das nossas ações é sem favor algo que escapa a nossa rotina. Ao tomarmos atitudes intempestivas, desaparece nosso preparo interior e nosso conteúdo moral.

E, continuaremos atados ao resgate até sua total emancipação.

No Universo os nossos mínimos atos pôr mais inconsequentes que possam parecer, tem na sua redundância o alcance do próprio desvirtuamento.

Como poderemos com equidade prover o próximo, se não contarmos com essa possibilidade de ajuda!

Nossos atos intempestivos, só não causam prejuízo a nossa evolução, como a todos que estão sob nossa responsabilidade.

Mas, apesar de tantas frustrações e atitudes inconfessáveis, resta-nos o conforto e o consolo, que somos espíritos oriundos de um Deus Bondoso e Justo..., dando-nos oportunidades como esta de aflorar-mos a responsabilidades de nossos atos, para um futuro mais consequente e responsável.

A alegria que transmitia as minhas apresentações, de fato era a minha grande arma para o sucesso, procurava que todos me acompanhassem na minha trajetória artística, que fizessem parte dessa minha jovialidade, que procurava transmitir na sua maior pureza.

Agradeço aos espíritos que abriram a minha mente e meu coração e que neste breve despertar, com a Bondade do Infinito Deus possa com a mesma alegria que transmitia nas minhas apresentações, ressarcir os danos causados ao meu espírito, postulando uma nova caminhada sinceramente cristã.

Aos amigos que temporariamente deixei no plano físico, patenteio a riqueza e a grandeza da nossa profissão, que tem muito de sutileza e de sensibilidade.

Se delas fizermos o palco para futuras empreitadas, dela também nos serviremos para a felicidade íntima e progressista de nossos espíritos.

                     Espírito Elis Regina - Cantora Brasileira 

                                colaboração............Louren Junior......coordenaçãoEspírito Matias Albuquerque

Acesse o video abaixo:

http://lourenjunior.webnode.com.br/news/mensagem-ditada-pelo-espirito-elis-regina-por-louren-junior-coordena%C3%A7%C3%A3o-espirito-matias-albuquerque-/

Biografia

 

 
Elis Regina
(Cantora brasileira)
17/03/1945, Porto Alegre (RS)
19/1/1982, São Paulo (SP)


Para muitos, Elis foi a maior cantora brasileira de todos os tempos. Incomparável em técnica e garra, a "Pimentinha", o "Furacão Elis", como era chamada, lançou compositores como João Bosco e Aldir Blanc, Renato Teixeira, Fátima Guedes. A primogênita do casal Romeu Costa e Ercy Carvalho Costa foi a primeira pessoa a inscrever sua voz como instrumento na Ordem dos Músicos.

Em 1956, passou a integrar o elenco fixo do programa, Clube do Guri, da Rádio Farroupilha de Porto Alegre. Em 1959, assinou seu primeiro contrato profissional com a Rádio Gaúcha também de sua cidade natal.

Em 1965, venceu o 1º. Festival Nacional de Música Popular Brasileira (TV Excelsior) com "Arrastão" (Edu Lobo e Vinícius de Morais). Dois dias depois, estreou no Teatro Paramount (SP) o show "Elis, Jair e Jongo Trio", que, gravado ao vivo, se tornou o LP "Dois na Bossa". Com sucesso do disco, ela e Jair Rodrigues estrelaram o histórico programa semanal "O Fino da Bossa".

O programa saiu do ar em junho de 1967, porém, Elis continuou ao lado de Jair Rodrigues nos três programas da série "Frente Única - Noite da MPB" (TV Record). Em dezembro, aos 22 de idade, casou-se com Ronaldo Bôscoli, 16 anos mais velho. Logo, nasceu seu primeiro filho, João Marcelo.

O casamento terminou em 1972 e, em 1974, casou-se com o pianista César Camargo Mariano. Viveu em São Paulo, onde nasceram: Pedro, em 1975; e Maria Rita, em 1977. Em 1981, separou-se de César.

Sua carreira internacional ficou mais importante a partir de 1968, quando cantou nas TVs inglesa, holandesa, belga, suíça e sueca. De volta à TV Record, em 1969, fez a série de programas "Elis Studio", dirigida por Miéle e Bôscoli. Em maio, viajou para Londres, onde gravou um LP com o maestro inglês Peter Knight. Em junho, na Suécia, gravou um LP com o gaitista Toots Thielemans.

"Elis & Tom", disco com Tom Jobim, saiu em 1974. Na inauguração do Teatro Bandeirantes (SP), cantou ao lado de Chico Buarque, Maria Bethânia, Tim Maia e Rita Lee. No ano seguinte, lançou "Falso Brilhante", em disco e nos palcos, show que assistido por 280 mil pessoas.

Pela TV Bandeirantes, em 1979, demonstrou a sua intimidade com São Paulo em um programa no qual passeava pela cidade com Adoniran Barbosa e visitava Rita Lee. E participou do Show de Maio, com renda revertida para o fundo de greve dos metalúrgicos de São Paulo, no estúdio da Vera Cruz, em São Bernardo do Campo, para 5 mil pessoas.

Naquele ano, gravou "O Bêbado e a Equilibrista", imediatamente apelidado de "Hino da Anistia". No 13º Festival de Jazz de Montreux, na Suíça, foi aplaudida por 11 minutos. Para agradecer a platéia, fez uma jam session com Hermeto Pascoal.

Em 1980, o show "Saudade do Brasil" reuniu no palco 24 músicos e bailarinos. No ano seguinte, fez o espetáculo "Trem Azul", com cenário de Elifas Andreato. Teve morte repentina, em 19 de janeiro de 1982. Foi velada no Teatro Bandeirantes, e vestia a camiseta proibida pela ditadura militar no show "Saudade do Brasil": a bandeira brasileira, com seu nome escrito no lugar de "Ordem e Progresso".