1985 - Mensagem ditada pelo Espírito Euclides da Cunha.....colaboração Louren Junior

06/06/2013 10:55

1985 - Mensagem ditada pelo Espírito Euclides da Cunha......colaboração Louren Junior

Cronica ditada pelo Espírito Euclides da Cunha.....por Louren Junior

......Uma nova civilização – 1.985

Eliene da Costa, 26 anos, moradora da região do Alto Purus

 Muito se tem pronunciado a respeito de uma nova civilização, até mesmas “previsões” em alguns dos Livros Sagrados.

Uma atribuída a Dom Bosco, (Fundador da Congregação Salesiana, muito atuante no Brasil, através de seus estabelecimentos de Ensino.), que no sonho, teve a visão da construção de Brasília. E, que dali surgirá o berço de uma Nova Civilização.

O Brasil tão decantado em verso e prosa.

Até mesmo o lirismo das estrofes do seu Hino Nacional, dos companheiros Osório Duque Estrada (Letra) e Francisco Manoel da Silva. (Música). 

- De fato nos traz a convicção que o Brasil reúne uma gama enorme de probabilidades de se tornar o Berço de uma Nova Civilização?

 

“Fulguras, o Brasil, florão da América”.

Esse céu do Novo Mundo será o céu da Nova Civilização?

O que de concreto até agora construímos, qual o rumo a ser seguido?

 

- O que o tornaria de “amor eterno seja símbolo”

ou Brasil" um sonho intenso em raio, Vivido de amor e de esperança” ou   “Gigante pela própria natureza”

 “Verás que um filho teu não foge a luta.”

- A luta pêlos ideais, fraternos, solidários, e cordiais?

- “És belo, és forte, o teu futuro espelha essa grandeza.”

- És forte pelo caráter? Tens a grandeza dos precursores?

 

Convenhamos! O que resumidamente está a nossa disposição?

O fato de para cá convergirem, todo tipo de raças e costumes, que com as experiências adquiridas, culminarão com esse desfecho tão almejado?

 

- Será decididamente o Brasil entre outras mil”, a Pátria Amada.”

-Todos “estamo-nos apercebendo desse movimento gigantesco.”

O solo rico, o clima ótimo, as condições de sobrevivência espantosas, lhe garante “Paz no futuro e gloria no passado.”

A consciência pátria levará em conta que fazemos parte do contexto universal, que teremos que garantir a nós e a todos os homens o acesso desse manancial privilegiado.

“Manteremos os cuidados necessários para preservar essa natureza hospitaleira.”

“O desvirtuamento não será causa do seu empobrecimento.”

Estaremos por ventura colaborando com possíveis danos, causados pelo resto do mundo.

“As nossas matas serão preservadas.”

Hoje somos 130.000.000 milhões de criaturas, talvez no ano 2.000 sejamos 180.000.000 milhões.

- Tudo estará planejado?

- Não faltarão alimentos?

- Todos terão Educação, Trabalho e Saúde?

Kayanderson Ferreira, de 4 anos, na janela de casa

 

“Deitado eternamente em berço esplendido”

Tudo está por começar. Mãos a obra!

Tomem de seus apetrechos, suas melhores ferramentas, somos responsavéis pelo plantio e pela colheita!

Não desapontemos o Criador.

Conscientizemos a todos! Crianças. Jovens, Idosos, que somos capazes! Pela força do trabalho, pêlos preceitos Evangélicos, que construiremos o berço de uma Nova Civilização.

Os vícios, os erros, a subserviência, deverão ser banidos da nossa frágil agenda doméstica.

O futuro se constroe com obras, morais, intelectuais e fraternas.

É preciso acordar!

Têm-se todas as condições, de clima, de povo, de idéias, temos que pô-las a prova.

Todos os envolvidos terão que redobrar a vigilância.

A todo o instante as trevas sobrevoarão nossos quintais.

 

As mandatários do  País, responderão pelos atos praticados. pelo bem e pelo mal que construirem. O zêlo pela responsabilidade dos cargos estarão preservados? A subserviência de chefes e subordinados não farão parte desta tão  almejada "Nova Civilização?

 

Todos somos responsaveis, fazemos parte integrante deste Infinito Universo, nossos mínimos atos gravam a nossa bôa ou má conduta, não nós esqueçamos "Tudo será cobrado."

Há necessidade de desprendimento é de muito desvelo.

Da preservação das riquezas do solo, dependerá uma bôa parte dessa construção futura.

A fertilidade do solo se juntará o bom senso, a perseverança, e o aglutinamento das raças que aqui aportarem.

Se de fato atentarmos para o fato de sermos um povo realisticamente reencarnacionista, de nada adiantará, desculpas, prevaricação, acomodamentos gratuitos, etc.

A cobrança virá!

Todos sabem das dificuldades, dos percalços, das desinteligências que ocorrem e que continuarão ocorrendo, mas nem por isso poderemos descuidar das tarefas que a todos estão confiadas.

Do Oiapoque ao Arroio Chuí, ao agreste do sertão, atravessando o pantanal mato-grossense, chegar-se aos pampas gaúchos, uma só voz ressoará, a voz da liberdade? 

 

Crônica ditada pelo Espírito Euclides da Cunha.

............por Louren Junior 

 

 

Amigos(as)! Em 1985 o Espírito Euclides da Cunha nos presenteava com essa linda pagina como Espírito desencarnado mas com a mesma visão desse nosso Brasil. Preocupação que está dentro de cada um de nós.

Notem ao que afirma:

 “Fulguras, o Brasil, florão da América”.

Esse céu do Novo Mundo será o céu da Nova Civilização?

“Manteremos os cuidados necessários para preservar essa natureza hospitaleira.”

“O desvirtuamento não será causa do seu empobrecimento.”

“As nossas matas serão preservadas.”

Hoje somos 130.000.000 milhões de criaturas, talvez no ano 2.000 sejamos 180.000.000 milhões.

- Tudo estará planejado?

- Não faltarão alimentos?

- Todos terão Educação, Trabalho e Saúde?

(População do Brasil ultrapassa 190 milhões, mostra Censo 2010)

Os vícios, os erros, a subserviência, deverão ser banida da nossa frágil agenda doméstica.

O futuro se constrói com obras, morais, intelectuais e fraternas.

É preciso acordar!

Têm-se todas as condições, de clima, de povo, de idéias, temos que pô-las a prova.

Todos os envolvidos terão que redobrar a vigilância.

A todo o instante as trevas sobrevoarão nossos quintais.

Os mandatários do  País, responderão pelos atos praticados, pelo bem e pelo mal que construírem. Os zelos pela responsabilidade dos cargos estarão preservados? A subserviência de chefes e subordinados não farão parte desta tão  almejada "Nova Civilização?

 

Todos somos responsáveis, fazemos parte integrante deste Infinito Universo, nossos mínimos atos gravam a nossa boa ou má conduta, não nós esqueçamos "Tudo será cobrado."

Se de fato atentarmos para o fato de sermos um povo realisticamente reencarnacionista, de nada adiantará, desculpas, prevaricação, acomodamentos gratuitos, etc.

A cobrança virá!

 

Você amigo (a) que acompanha o desenvolvimento Social, Econômico e Cultural de nosso Brasil. O Espírito Euclides da Cunha foi feliz nas suas observações. Estamos realmente caminhando para esse tão almejado sonho de D. Bosco.

Esse “abismo” onde alguns podem outros nada possa resultado do privilégio desenfreado estampado no noticiário diário invadindo seus lares, suas comunidades. De certa forma estabelecendo uma nova Republica do “errado é o certo”.

O que pensa? Qual sua observação leal, sincera? O que têm feito por esse nosso Brasil?

Todos somos responsáveis, fazemos parte integrante deste Infinito Universo, nossos mínimos atos gravam a nossa boa ou má conduta, não nós esqueçamos "Tudo será cobrado."

Se de fato atentarmos para o fato de sermos um povo realisticamente reencarnacionista, de nada adiantará, desculpas, prevaricação, acomodamentos gratuitos, etc.

A cobrança virá!

 

Cronica ditada pelo Espírito Euclides da Cunha......colaboração Louren Junior - 1985

 

Acesse o video abaixo:

http://www.youtube.com/embed/0M_faYF-bmY

 

Euclides Rodrigues Pimenta da Cunha nasceu em Cantagalo (RJ), no dia 20 de janeiro de 1866. Foi escritor, professor, sociólogo, repórter jornalístico e engenheiro, tendo se tornado famoso internacionalmente por sua obra-prima, “Os Sertões”, que retrata a Guerra dos Canudos.

Cronologia:

1866 – Nasce no dia 20 de janeiro, na Fazenda Saudade, em Cantagalo, região serrana no vale do rio Paraíba do Sul, na província do Rio de Janeiro, onde vive até os três anos, quando falece sua mãe. O autor e sua irmã, Adélia, passam a viver, em 1869, com seus tios maternos, Rosinda e Urbano, em Teresópolis (RJ).

1909 - Obtém a segunda colocação no concurso. Graças à interferência junto ao presidente da República, Nilo Peçanha, do barão do Rio Branco e do escritor e deputado Coelho Neto, é nomeado para a vaga. Entrega aos editores, Lello & Irmão, as provas de “À margem da História”.

Morre no dia 15 de agosto de 1909, depois de uma troca de tiros com o aspirante Dinorá e seu irmão, o cadete Dilermando de Assis. Em 1916, o segundo-tenente Dilermando de Assis, que havia sido absolvido da morte do biografado (legítima defesa), mata em um cartório de órfãos no centro do Rio, o aspirante naval Euclides da Cunha Filho, o Quidinho, que tentou vingar a morte do pai. Dilermando é novamente absolvido, pelo mesmo veredicto.

 

 


Bibliografia:

1902 - Os Sertões

1907 - Contrastes e Confrontos

1907 - Peru versos Bolívia

1909 - À margem da história (póstumo)

1939 - Canudos (diário de uma expedição) (póstumo) — Reeditado em 1967, sob o título Canudos e inéditos.

1960 – O rio Purus (póstumo)

1966 – Obra completa (póstumo)

1975 – Caderneta de campo (póstumo)

1976 – Um paraíso perdido (póstumo)

1992 – Canudos e outros temas (póstumo)

1997 – Correspondência de Euclides da Cunha (póstumo)

2000 – Diário de uma expedição (póstumo)


“Os sertões” foi publicado nos seguintes idiomas: alemão, chinês, francês, inglês, dinamarquês, espanhol, holandês, italiano e sueco.