Louren Junior.....e Espírito Matias Albuquerque
 
ESCLARECEM.............................................
 
 
ADEPTOS E NÃO ADEPTOS DA DOUTRINA ESPÍRITA, ao homenagear os 210 anos do nascimento do CODIFICADOR da DOUTRINA ESPÍRITA ocorrido no último dia 03 de Outubro ALLAN KARDECpsedônimo de Hippolyte Léon Denizard Rivail. ((Lyon,3 de outubro de 1804 — Paris31 de março de 1869
 
Lembramos aos distintos biógrafos.jornalistas  e afins queALLAN KARDEC foi CODIFICADOR DA DOUTRINA  e não como erroneamente divulgam o FUNDADOR DA DOUTRINA ESPÍRITA.
 
Exemplos:
 
Revista Superinteressante Setembor de 2002: Criado por um pedagogo, o Espiritismo surgiu na França no século XIX. 
Editora ECO o Espiritualismo em forma de Livro: No Livro de Crysanto de Brito - Sumario - Allan Kardec Fundador da Doutrina Espírita

METRO1 por Nardele Gomes no dia 03 de Out de 2013 às 06:00 em Cultura Dia na História: nascia Allan Kardec, fundador da Doutrina Espírita

ESOTÉRICO -Kardec foi o fundador e o codificador do espiritismo.

 

Nota-se que quer quanto aos adeptos quer aos não Adeptos A BIOGRAFIA é divulgada erroneamente.


Não poderia Fundar uma DOUTRINA que fundamenta-se nos ENSINOS DE JESUS.

Simplesmente revela e conscientemente endossa seus postulados e com veracidade e autenticidade a"IMORTALIDADE DO ESPÍRITO" como CIÊNCIA, FILOSOFIA e consequentemente RELIGIÃO.
 
Portadora da mensagem Evangélica, confirma a grandeza de JESUS e dos seus ensinamentos. Com as revelações do além tumulo, dá a luminosa diretriz do amor, como sendo a mais eficaz terapia para a vida de todas as criaturas humanas.
 
Leiam DOUTRINA ESPÍRITA inserida no LIVRO ESPÍRITA - Sumário 
 
O video abaixo revela esse tesouro que a humanidade ainda não descobriu:
 
 
Leia mais: http://lourenjunior.webnode.com.br/livro-espirita/sumario/doutrina-dos-espiritos/
 
 

Doutrina dos Espíritos

 

Resumida das inúmeras indagações próprias da espécie humana quanto sua origem e destino, tem nas verdades e virtudes trazidas pôr Jesus, na sua passagem pelo planeta Terra, o seu cume de realismo e dinamismo.

Observamos que as Doutrinas são pobres quando se fixam nas palavras, e não nas idéias.

As palavras são frágeis e insuficientes, e o saber não pode ser compreendido de imediato.

A Doutrina Espírita é original na sua estrutura, é um todo harmônico, reúne os postulados da Ciência, as diretrizes da Filosofia e a ética e a moral instrumentos da Religião.

Por sua proposta simples, mas que atende as mais severas exigências da razão e da lógica está ao “ALCANCE DE TODOS”, pelos simples de inteligência e os mansos de coração.

Se acerca de todos os ramos do conhecimento, completando-os com seus profundos conteúdos, porque remonta as causas de tudo, para entender-lhes os efeitos.

Portadora da mensagem Evangélica, confirma a grandeza de JESUS e dos seus ensinamentos. Com as revelações do além tumulo, dá a luminosa diretriz do amor, como sendo a mais eficaz terapia para a vida de todas as criaturas humanas.

É um marco, tanto no progresso moral, no intelectual e conseqüentemente também no físico.

Demonstra que os fenômenos qualificados como de cunho sobrenaturais, se submetem às leis ordenadas na ordem dos fenômenos da natureza.

Desde a mais simples até as suas transcendentes manifestações, nada de alguma contradição, até se acham em perfeita harmonia, como que destinados à edificação dos Espíritos que desejam compreender as suas altas prerrogativas morais e espirituais.

Estabelece as leis que regem as relações entre o mundo material e o espiritual.

Traz a tona, todas as características, que remontam a época do evangelizador, na sua mais cristalina e inconfundível pureza, carregando consigo, uma nova perspectiva, para aqueles que realmente procuram a custa do próprio esforço e devotamento, melhorar-se intimamente.

Pautada pela consciência e a realidade da vida, após a morte do corpo físico, isto é, a imortalidade do espírito e lembrada pêlos mesmos Espíritos que contribuíram pela difusão desses ensinos, através as inúmeras reencarnações, culmina dentro de uma concepção moderna, na observância dos deveres, morais, intelectuais e éticos.

No Evangelho de João, cap. 14, versículos, 15, 17 e 26, encontramos as palavras de Jesus: “Se me amais guardai os meus mandamentos e eu rogarei ao meu Pai e ele vos enviará outro Consolador, a fim de que fique eternamente convosco; - O Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque o não vê e absolutamente o não conhece. Mas, quanto a vós, conhecê-lo-eis, porque ficará convosco e estará em vós. – Porém o Consolador que é o Santo Espírito, que meu Pai enviará em meu nome, vós ensinará todas as coisas e vós fareis recordar, tudo o que vos tenho dito”.

 

 

Ficheiro:Le Livre des Esprits 2.jpg
 

Tem como suporte o tríplice aspecto: Científico, Filosófico e Religioso.

 

Como Ciência, acompanhando as mais recentes conquistas do setor, predominando a universalidade dos ensinos dos espíritos, dando prova, que todo o princípio deva ser ensinado espontaneamente e ao mesmo tempo em todos os lugares.

Enquanto a ciência em geral, examina nos efeitos as causas a Doutrina Espírita revela o mundo real, anterior, facultando na compreensão da esfera física sua transitoriedade e suas razões de existir. Entendendo ainda por ciência os conhecimentos resultantes da observação e da experiência convenientemente orientados.

Como também na rigorosa investigação dos fatos decorrentes de causas ignoradas, estendidos à natureza procurando conhece-los e deduzir de suas leis.

As suas características ficam mais evidentes ao examinarmos o intercâmbio entre espíritos encarnados e desencarnados, quando comprova experimentalmente a existência do Espírito e a sua sobrevivência quando da perda do corpo físico., através dos chamados fenômenos espíritas.

É o resultado de uma investigação rigorosa, metódica, da combinação do conhecimento dos dois Mundos – das duas humanidades, que se ajustam, embora com suas imperfeições, caminham juntas, para os superiores destinos que nos estão reservados.

Esses fatos imortalizam, e constituem provas objetivas, da sobrevivência do homem após o fenômeno da morte.

São fenômenos observados dos tempos mais remotos e que agora bem compreendidos, compilaram um corpo de Doutrina, que abre uma nova luz a humanidade, uma orientação que satisfaça as nobres aspirações de todos.

Visando demonstrar a existência de um Mundo além do nosso, que sucede a vida terrena e não atrair as gentes para o miraculoso ou sobrenatural.

A Doutrina Espírita, como ciência se apóia na concordância universal dos fenômenos e nas comunicações dos Espíritos.

Graças à ciência, que a cada dia traz revelações que confirmam a Doutrina, vamos lentamente compreendendo o Cristo na acepção maior como “Caminho, Verdade e Vida”.

O Cristo na sua grandiosidade, de humildade, de compreensão, de tolerância e notadamente de CARIDADE, Espírito Imortal,  do mundo dos Espíritos, nos encoraja: “venham, venham,   participem da verdade eterna e resplandecerão em luzes”.

A ciência espírita reúne o que estava esparso tudo que era alegoria, superstição e, que tudo foi criado pela ignorância.

Não cria nada, coordena, seus pilares são de todos os tempos e de todos os lugares.

Ela está na natureza, não há como os homens aniquilá-la.

As idéias espíritas alicerçadas no seu tríplice aspecto são umas garantias de tranqüilidade e ordem, pois tornam melhores os homens.

 

Como Filosofia, dá a vida, a par da Ciência um cunho divino, ratificando através de inúmeras manifestações espíritas sua origem e nosso destino.

È antes uma filosofia baseada em fatos e com conseqüências de ordem moral.

Lembrando também que a Doutrina Espírita no seu aspecto filosófico enquadra-se rigorosamente na tradição filosófica., que sempre foi espiritualista por excelência.                                      

Ela define as responsabilidades do Espírito, tanto encarnado como desencarnado estabelecendo uma regra moral de vida e o comportamento compatível com os seres da Criação dotados de razão e consciência.

E, a busca constante pela justiça ideal inspirando-se cada vez mais nos princípios filosóficos do cristianismo é a Doutrina Espírita trazendo a certeza de que dois mundos se integram.

A Filosofia espírita permite-nos “ver e conhecer a Verdade contida nos ensinos de Jesus por falar-nos a razão.

Permite refletir e esclarecer a promessa da vinda do Consolador, para ficar eternamente com todos que o seguissem.

 

Como Religião, faz desses postulados, atos comportamentais como: a LIBERDADE DE CADA SER, o respeito pelo LIVRE ARBITRIO, e a DISTRIBUIÇÃO DO SABER.

A Doutrina Espírita não ensina nada diferente da moral cristã. Os mandamentos do Senhor têm por base a caridade material e espiritual.

“Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo” é o seu aspecto moral-religioso.

Coloca o amor, a humildade, a renuncia a todo tipo de recompensa.

“A Doutrina Espírita é forte porque assenta sobre as próprias bases da Religião: Deus, a alma, as penas e as recompensas futuras” (O Livro dos Espíritos, conclusão, Item V.)

 “A Doutrina Espírita longe de negar ou destruir o Evangelho, vem, ao contrario, confirmar explicar e desenvolver, pelas novas leis da Natureza que, revela tudo que Jesus disse e faz”. (A Gênese Cap. I, Item 41.)

Emmanuel no Livro “O Consolador psicografado por Chico Xavier diz: “Enquanto a Ciência e a Filosofia operam o trabalho da experimentação e do raciocínio a Religião edifica e ilumina os sentimentos”.

Os espíritas têm consciência pela clareza da própria Doutrina, o quanto pode ajudar no processo evolutivo, quando esclarecidos sobre ele e sobre nos mesmos.

O estudo do Evangelho, meditado como hábito diário, nos leva a compreender melhor o Cristo, as suas sublimes lições de Amor, criando para nós um modelo a ser seguido, melhorando substancialmente a nossa sintonia com a Espiritualidade Superior.

A evolução é inerente à vida, é eterna.

O Espírito Imortal, mesmo quando homem virtuoso, ainda não adquire todo seu potencial, muito tem que aprimorar.

Se o espiritismo é uma verdade, nenhuma modificação física do globo, nenhuma revolução moral, nada poderá atingir os Espíritos.

A Doutrina Espírita é uma das mais consideradas transformações dos tempos modernos, uma das mais notaveis formas de evolução do pensamento.